mLearn

Os três maiores desafios de ensinar para as gerações Z e Alpha

Criação: Natália Siqueira


No início da vida escolar o professor possui um papel fundamental de transformação para o aluno. Os professores são vistos por muitos jovens como grandes mentores e exemplo de inspiração, por isso, devem se preocupar sempre em ensiná-los e orientá-los, a fim de prepará-los para se tornarem grandes adultos.

Com o avanço da tecnologia e o surgimento de novos formatos de ensino no Brasil, os professores estão tendo que se reinventar. Afinal, o tradicional formato de aprendizagem já não é tão eficaz como antes, e muitas instituições de ensino já estão preparando ‘os professores do futuro’ para dialogarem com a nova realidade da sala de aula, atuando como mediadores e designers de aprendizagem.

 

O ensino no Brasil

Aplicado na maioria das escolas, o ensino tradicional é o que predomina no país. Nesta modalidade, a aprendizagem é centrada no professor, que atua como um transmissor de informações. Na maioria das escolas brasileiras, o estudante tem metas a cumprir dentro de determinados prazos, que são verificadas por meio de avaliações periódicas.

 

Quem não atinge a nota mínima necessária no conjunto de avaliações ao longo do ano que está cursando é reprovado e tem de refazê-lo. É comum nas escolas o uso de apostilas e cartilhas que estabelecem o quanto a criança deve aprender em cada ano. Porém, este formato de ensino está cada vez mais descontextualizado na atual sociedade, já que cada vez mais os alunos recebem muitas informações, estão conectados à internet e possuem dificuldades em prestar atenção nas aulas. Diante desse cenário, a tecnologia tem conquistado cada vez mais espaço nas instituições de ensino e revolucionado a forma como os professores tem lecionado. A tendência é que cada vez mais as novas gerações sejam formadas por meio de plataformas digitais educacionais.

 

Os desafios de ensino das gerações Z e Alpha

Diferentemente da geração Alpha, a ‘Z’ faz parte de um grupo de adolescentes e jovens profissionais que nasceram em um contexto mais globalizado, no qual usufruem da tecnologia desde pequenos. São os chamados “nativos digitais” e só entendem a vida com a internet e com as diferentes tecnologias. Por isso, a geração Z sente-se muito à vontade para se relacionar por meio das redes sociais e, na maioria das vezes, prefere este meio de comunicação. Inovação e velocidade são parte da vida deles.

 

Já a ‘Alpha’, a mais nova geração do século 21, são atualmente crianças  curiosas, espertas e ligadas em tudo à sua volta. São as primeiras a experimentar um novo sistema escolar híbrido (on-line e off-line), com foco na autonomia do aluno e no aprendizado, baseado em projetos para aprender por meio de situações do cotidiano e, provavelmente, vão deter o maior conhecimento tecnológico da história.

 

Alinhados a estas novas gerações, estão os desafios dos pais e professores em não deixar que estas crianças e jovens tornem-se desatentos e, consequentemente, adultos sem qualificação definida. De acordo com especialistas, estas gerações por serem cercadas de muitas informações, acreditam que são capazes de dominar qualquer tipo de assunto e assim optam por conteúdos rasos, sem verificar a autenticidade e veracidade das informações que absorvem e compartilham. Os desafios para pais e educadores é auxiliá-los a desenvolverem habilidades que servirão de base para enfrentar as dificuldades do cotidiano, como a habilidade para lidar com as emoções, se comunicar, ser criativo, ser responsável, ser determinado, ter empatia, tomar decisões e solucionar problemas.

 

Um novo formato de ensino

A educação mobile tem sido uma grande aliada dessas novas gerações, pois a proposta de adquirir conhecimento por meio de games e conteúdos digitais tornam as crianças e jovens mais engajadas. As recompensas sugeridas pelas plataformas de ensino para cada atividade feita, por exemplo, são um atrativo a parte para ambos. Para geração Z a educação mobile oferece cursos mais curtos, práticos e focados no mercado de trabalho, e na criação de novos serviços que atendam suas demandas. Para a Alpha, este método gera ainda mais estímulos às crianças e fazem obter conhecimentos através de meios modernos e dinâmicos.